Casos de Sucesso

O desafio: Em 2007, a CERTI recebeu a missão de desenvolver o novo set-top box Philips para o mercado brasileiro (um conversor que permite que televisores analógicos recebam o sinal da TV digital), além de dar suporte técnico ao desenvolvimento de dois televisores com receptor integrado de sinal digital. A fase de desenvolvimento apresentou grandes desafios, por conta da adoção da alta definição (1080i) e do protocolo com forte compressão usado para codificação de vídeo (H.264). Poucas plataformas apresentavam desempenho e estabilidade capaz de suportar os requisitos de desempenho estabelecidos.

O Desenvolvimento: Foram avaliadas diferentes plataformas e chipsets oriundos dos principais fabricantes mundiais. A equipe de TV Digital da CERTI coordenou tecnicamente equipes distribuídas, trabalhando em diferentes continentes: no Brasil (Florianópolis, São Paulo, São Bernardo do Campo e Manaus), EUA (Atlanta), França (Surresnes), Singapura e China. A especificação, o desenvolvimento e o lançamento do novo set-top box aconteceram dentro do cronograma previsto de apenas seis meses.

O resultado: A partir de trabalhos conjuntos no âmbito do projeto INSTINCT - Television and broadband for people on the move – conduzido pela União Européia, a Fundação CERTI e a Philips construíram uma estratégia de colaboração e confiança, que resultou na concepção e lançamento bem-sucedido de uma família de produtos para TV Digital. A excelência dos resultados obtidos é atestada pela posição de referência que o produto alcançou no mercado brasileiro, pelo destaque como “Escolha INFO 2008” e pela conquista do “Troféu Home Theater”, na categoria “Produto mais inovador de 2008”.
O desafio: A empresa Bematech buscava o desenvolvimento de um produto inovador para atender o mercado mundial de impressoras comerciais. O desafio da CERTI foi o de desenvolver uma plataforma de impressoras térmicas para impressão de tickets e cupons fiscais em aplicações comerciais.

O Desenvolvimento: Com recursos do projeto Finep, o Centro de Mecaoptoeletrônica da Fundação CERTI desenvolveu a mini impressora térmica que reúne características inéditas no mercado e apresenta desempenho superior aos principais concorrentes mundiais deste segmento. O equipamento inovou também em características modulares, que permitem a produção de diferentes configurações com base na mesma plataforma. O CME desenvolveu também módulos de comunicação wireless com três tecnologias para diferentes aplicações do produto: Módulos de comunicação Wi-Fi, ZigBee e GPRS. O CPC desenvolveu o processo produtivo da impressora, qualificando fornecedores, desenvolvendo procedimentos de inspeção e especificando a linha de montagem do produto.

O resultado: A impressora MP4000 é atualmente o principal produto da Bematech no segmento de impressão, sendo produzida em sua unidade de São José dos Pinhais (PR), assim como em Taiwan.
O desafio: Diminuir de forma expressiva os custos de fabricação e montagem da placa eletrônica responsável pelo processamento de sinais dentro dos veículos agrícolas desenvolvidos pela empresa. Também foi escopo desse projeto a melhoria da qualidade dos sinais de alta velocidade responsáveis pela comunicação entre Processador e Memória.

O Desenvolvimento: Considerando a utilização de sofisticadas ferramentas para projeto eletrônico, o LABelectron / CERTI desenvolveu um novo layout da placa eletrônica, orientando o projeto às melhores práticas de manufatura e montagem (DfM / DfA), buscando diminuir os custos e aumentar a qualidade do processo produtivo. Com base em etapas de análise de integridade de sinais, todos os barramentos de alta velocidade foram reconstruídos em função da impedância característica recomendada pelos fabricantes dos componentes considerados críticos.

O resultado: Redução obtida com relação aos custos de manufatura e montagem: 40% Índice de aprovação com relação aos ensaios pós montagem: Antes do novo projeto de layout - 65% / Após o novo projeto de layout - 95%
O desafio: Desenvolvimento de projeto eletrônico para detecção de níveis de combustíveis dentro de veículos de transporte que não ferisse as patentes vigentes relacionadas com os atuais métodos de detecção.

O Desenvolvimento: Tomando como referência a Sistemática de Desenvolvimento de Placas Eletrônicas desenvolvida pelo LABelectron/CERTI, o qual tem como referência a metodologia SDS para desenvolvimento de soluções, a equipe do núcleo de engenharia de desenvolvimento de placas eletrônicas do LABelectron/CERTI concebeu e desenvolveu um novo sistema eletrônico, sempre tendo em vista e considerando as normativas pertinentes relacionadas principalmente às questões de segurança (atmosfera explosiva) e desempenho.

O resultado: Contando com a Parceria do cliente nas questões pertinentes ao desenvolvimento mecânico, foi concebido um novo produto cuja eficiência já foi testada e aprovada pelo mesmo.
O desafio: Em 1996 e em 1997, o TSE - Tribunal Superior Eleitoral - lançou, respectivamente, o primeiro e o segundo edital com especificações para o desenvolvimento e produção de urnas eletrônicas, visando a informatização das eleições em capitais e cidades brasileiras. A Procomp Indústria Eletro-eletrônica - atual Diebold, líder em automação bancária no Brasil, contratou a Fundação CERTI como parceira tecnológica do projeto para concorrer ao edital de 1996 e 1997.

O Desenvolvimento: A CERTI, ampliando seu processo de desenvolvimento rápido de produtos, executou o projeto mecânico da urna eletrônica, além de contribuir no desenvolvimento do hardware (HD) eletrônico, do software (SW) de apoio e nos testes do produto (HW, SW e embalagem). A solução da urna Diebold apresentou as características de pouco mais de 8kg de peso, teclado numérico, pequeno monitor de cristal líquido e autonomia de 12 horas de funcionamento sem energia externa. Em 2000, as urnas receberam ainda um dispositivo de áudio através do qual, usando fones de ouvido, deficientes visuais passaram a ter condições de ouvir a confirmação dos números digitados no teclado, que também contava com identificação em braile.

O resultado: O projeto da Diebold em parceria com a CERTI ficou em segundo lugar em 1996 e venceu o edital de 1997. A partir de então, a Diebold passou a fabricar 90 mil urnas novas para as eleições de 1998 e a atualizar as 78 mil urnas já existentes. A Diebold também venceu a licitação para produção e fornecimento de 190 mil urnas eletrônicas para as eleições de 2000, contanto com a CERTI para estruturação, operacionalização e acompanhamento do processo de garantia da qualidade. As urnas foram desenvolvidas para serem usadas em todo o Brasil, estando preparadas para enfrentar o frio do sul, o calor e a umidade do Amazonas e os sacolejos do transporte para as localidades mais remotas do país. A urna eletrônica brasileira modelo UE2000 foi a protagonista da maior eleição digital realizada no mundo.
Em um projeto de inovação direta em Processos Produtivos para Produtos Eletrônicos, a equipe do CPC e do Instituto CERTI Amazônia realizou o desenvolvimento completo dos processos produtivos para uma nova placa eletrônica da POSITIVO Informática. Para os diferentes lotes e produtos desenvolvidos, foram realizadas atividades como análises de adequabilidade do projeto à manufatura (DFx e DFm), desenvolvimento de documentos para orientação aos processos de montagem, definição e fabricação de dispositivos, desenvolvimento dos programas de montagem, inspeção e teste, geração de relatórios e transferência de parâmetros da linha do LABelectron para a da POSITIVO.
Apoio Financeiro:


Idealizador: